Mário Viegas

Domingo, 3 Dezembro 2006 às 12:05 am | Publicado em Geral | 4 comentários

Mário Viegas

Fez 58 anos no dia 10 de Novembro. E digo fez, porque o Mário Viegas não morreu! Arqueólego literário, actor e encenador de fazer faíscas nos olhos, o Mário, que era salgado, teve uma vida destinada a vencer a morte.
A sua vocação foi sempre a de dizer, dizer-se, afirmar, afirmar-se. Passou a vida a tentar ser o Mário Viegas. E não é que conseguiu! Tinha uma relação “tu cá, tu lá” com os poetas. Mas não disfarçava a proximidade ao Almada Negreiros. E, da sua boca salgada, saíam descargas de génio que, ainda hoje, ecoam no pequeno cérebro da nossa mesquinha modernidade: «Tu que aperfeiçoas a arte de matar, tu que descobriste o cabo da Boa Esperança e o caminho Marítmo para a Índia e as duas grandes Américas e que levaste a chatice a estas terras e que trouxeste de lá mais chatos p’rá-qui e que, ainda por cima, cantaste estes feitos. Tu que inventaste a chatice e o balão e que, farto de te chateares no chão, te foste chatear no ar, e que ainda foste inventar submarinos para te chateares também debaixo de água, tu que tens a mania das invenções e das descobertas e que nunca descobriste que eras bruto, e que nunca inventaste maneira de o não seres… E vós também, toda a gente, que todos tendes patrões… Ó coito de impotentes a corar no riacho da Estupidez… E tu, também, ó mau gosto com a saia de baixo a ver-se e a falta de educação. Tu consegues ser cada vez mais besta e a este progresso chamas civilização». Ó Mário salgado, ó Mário Viegas… que saudades do futuro!

Anúncios

4 comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Um bela homenagem a um grande homem. É mesmo para dizer, Ó Mário salgado, ó Mário Viegas… que saudades do futuro!
    Um abraço

  2. «Quem não aguenta o silêncio, não aguenta a própria vida».

    Abraço

  3. Muito bem recordado, o Mário Viegas.Um grande actor, um grande comunicador de poesia, um enorme anti-tudo que estorvasse o caminho da justiça e do desenvolvimento.Ainda há pouco tempo tive o prazer de recordar também sua mãe, Mariana Viegas, de quem tenho a inesquecível marca de vida que foi, ter sido seu aluno de Português.
    Um Abraço.

  4. Pois de vez enquando, recordo-me daquela voz do declamário!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: