Eça de Queirós

Quinta-feira, 30 Novembro 2006 às 12:15 am | Publicado em Geral | 2 comentários

O Caso Clínico de Eça de Queiroz. Contributo para a sua patobiografia
Autor: Ireneu Cruz (médico)
Informações: 1ª edição – Setembro de 2006. Páginas – 88. Preço – 8.40 euros.

“A partir de limitada informação com significado clínico, faz-se um estudo da enigmática doença do romancista Eça de Queiroz, que lhe roubou a vida aos 55 anos de idade. Tecem-se considerações de ordem clínica, por vezes imbuídas de inerente subjectividade, com base em fragmentos da sua correspondência com amigos e familiares e em observações mais objectivas de alguns dos melhores autores da Geração de 70.
A evolução da sua doença, agravada progressivamente, é avaliada ao longo da diáspora que constituiu a sua vida. Faz-se uma discussão clínica à luz dos conhecimentos actuais, que afasta o estigma do diagnóstico de tuberculose entérica ou de uma hipotética amebíase intestinal, mais recentemente aventada. Discute-se o diagnóstico diferencial de uma síndroma de má absorção que teria afectado durante mais de vinte anos o romancista. Conclui-se admitindo a hipótese de Eça de Queiroz sofrer de uma arrastada doença inflamatória intestinal, provavelmente a doença de Crohn, e de ter sido vítima das suas complicações. Aflora-se também a possibilidade de existir uma relação desta sua doença crónica com o facto de algumas das suas obras ficarem inacabadas e só terem sido postumamente publicadas.”

In Ed. Caminho.

Publicado por Fradique, no post de 22.09.2006.

Combate à corrupção?…

Terça-feira, 28 Novembro 2006 às 12:25 am | Publicado em Política | Deixe um comentário

Combate à corrupção em queda

Avaliação do Banco Mundial arrasa governação em Portugal. Estabilidade política e eficácia do Governo são parâmetros onde Portugal perde pontos.

A qualidade da actividade governativa em Portugal tem vindo a decair nos últimos anos. Segundo um relatório do Banco Mundial, que avalia práticas da governação em mais de 200 países entre 1996 e 2005, o controlo da corrupção é um dos parâmetros onde Portugal perde eficácia. Se em 1998 eram atribuídos 90,2 pontos no combate à corrupção, essa pontuação cai para 83,7 em 2005. Aliás, entre os 20 países mais populosos da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, Portugal apenas ultrapassa a Itália (país frequentemente abalado por suspeitas de corrupção ao mais alto nível) e a Grécia.
Outra das áreas em que Portugal está a perder terreno é na eficácia do Governo, que mede o nível da burocracia e a qualidade da prestção de serviços públicos. Entre o executivo de António Guterres (1998) e o de José Sócrates (2005), foram perdidos 6,2 pontos. Queda ainda mais acentuada na estabilidade política (14,2 pontos).

in Destak

Informação

Sexta-feira, 24 Novembro 2006 às 2:25 am | Publicado em Pessoal | 4 comentários

Malaposta, 2º modelo português de 1798

Cerca de dois anos após o seu nascimento, o Malaposta(blogspot) termina aqui a sua “carreira”. Tudo na vida tem um fim. Mas, em boa verdade, neste caso, trata-se duma “morte” em sentido figurado, já que, em rigor, o Malaposta teve de mudar de “casa”. E porquê? Simplesmente porque o autor do Malaposta instalou, via actualizações automáticas da Microsoft, o browser Internet Explorer 7. Como decorrência dessa actualização, o autor do Malaposta deixou de visualizar o blog normalmente, surgindo-lhe com vários erros de visual, tal como o cabeçalho parcialmente invisível e o título sobreposto à descrição. Para além disso, o sidebar desalinhou e há vários posts que surgem “encavalitados” uns nos outros. Isto é o que vê o dono do blog, o que não quer dizer que os meus visitantes vejam da mesma maneira. Tenho a certeza de que a grande maioria verá o blog normalmente, pela simples razão de que essa grande maioria ainda tem instalado o Internet Explorer 6.
Instalei recentemente um outro browser: o Mozilla Firefox. E os resultados são semelhantes aos do IE7. Em resumo, pode dizer-se que quem tiver instalado qualquer dos browsers referidos (IE7 e Firefox) verá o seu blog com os problemas que indico em relação ao meu, a menos que os scripts que usam nos seus blogs (e posts) sejam “benignos” para esses browsers.
Face ao exposto, informo os meus potenciais visitantes que tive de mudar de “casa”. Vai daí, meti toda a “tralha” que tinha na carruagem da imagem e procurei “refúgio” noutro lugar, longe do IE7. Já transportei alguma “mobília” para a nova casa, como os links que constam do Malaposta (Blogspot), e é lá que passarei a “viver”. Pelo menos esse novo sítio é compatível com qualquer browser!
“Chave para abrir a nova casa”.
Solicito e desde já agradeço aos meus visitantes que corrijam o meu link nos seus blogs.

Notícia de última hora (que vem mesmo a calhar para este post): o autor do Malaposta acaba de constatar que o blog da “Meg” reentrou na rede: Mandarin Daily. E foi só agora que fiquei a saber que, pelo menos desde Dezembro/2005, a autora do Blog, Michelle Goodrich, incluíu o Malaposta na sua “House of Mandarin”. Para localizar o Malaposta nessa “galeria de blogs”, apontar o rato sobre o penúltimo quadrado da penúltima fila da “galeria”, ler o que o rato “diz” e clicar para abrir o Malaposta.

Vat 69

Quarta-feira, 22 Novembro 2006 às 2:00 am | Publicado em Política | 6 comentários

Todos temos um segredo, senão vários espalhados pela vida fora. A Sofia não fugia à regra. Era honesta, verdadeira, intuitiva e instintiva. Socialista ferrenha, não se importava que os socialistas governassem à direita. Nas últimas eleições votou PS (Partido do Sócrates) para evitar o PSD (Partido Sem Direcção). Digamos que era excêntrica, não tinha contas no banco. Em casa não tinha electricidade, iluminava-se com velas e, nas longas noites de Inverno, com candeeiros a petróleo. À noite, lavava os pés no lavatório e as virilhas na Fonte Luminosa. Nada a descontentava. Nem o facto de ser do Benfica e não ganhar nada, a não ser a entrada para o Guiness! A Sofia era feliz e assim é que era. Nem mais, nem menos! Quando as coisas corriam menos bem, ia dar uma volta para se distrair. E distraía-se, de bar em bar, de tasca em tasca, de nada em nada! Nos intervalos dos congressos do PS, costumava apanhar goleadas de VAT 69 com os homens tristes, cheios de verdades inúteis e certezas de meia tigela! Por vezes, acontecia trazer para casa um triste perdido, mesmo que fosse do Sporting ou do Porto, do PS ou do PSD.
A Sofia era uma mulher civilizada. Com ela, os tristes não precisavam de electricidade, nem de emprego, nem de dinheiro para serem felizes. Bastava saberem contar ate 69 e dormiam no chão espartano como portugueses de primeira! É que a Sofia nao se vendia ao quilo! Assumia-se como uma troca de generosidades entre marginais! E sabem que mais? Era feliz!


Paulo Anes, in Destak.

Dois salazarentos!

Segunda-feira, 20 Novembro 2006 às 1:21 am | Publicado em Política | Deixe um comentário

Do lado dos mouros…

Sábado, 18 Novembro 2006 às 12:47 am | Publicado em Imagens | 1 Comentário

ponte25abril2.gif

“Roubado” daqui.

Viva a República!

Sexta-feira, 10 Novembro 2006 às 12:05 am | Publicado em Política | 1 Comentário

Viva a República de 1910! Abaixo a república socrática!

Quando foi proclamada a República, em 1910, a Europa compreendeu logo que era o acontecimento mais importante da política da época. E lia-se na imprensa europeia: Portugal é um país pequeno, mas a sua República é grande. A monarquia deixara Portugal de “tanga”. A corrupção e o oportunismo eram cabeças de cartaz no paupérrimo espectáculo nacional. Ora, quando a podridão estica a corda, a conclusão é inevitável: só se pára no abismo. A revolução de 5 de Outubro não foi consequência de um impulso emocional irreflectido, mas um acto consciente levado a cabo por homens com sonhos e tomates para os concretizar. Homens com o sonho de acabar com o pesadelo de um país degradado, deprimido, a pedir por tudo para ser espanhol, a arrastar-se penosamente pelas ruas dos moribundos.
Quase cem anos depois, festejou-se o acontecimento com um lindo feriado com vistas para uma ponte preguiçosa de um fim-de-semana alargado. Talvez não seja tolice pensarmos no que somos hoje e no que éramos em 1910. Quase a mesma coisa. O país é pobre, a corrupção tem maioria absoluta e quase 30% dos portugueses querem ser espanhóis. O pior é que não temos sonhos para fazer revoluções. Passámos da salazarenta máxima “quem nada tem com pouco se contenta” à revolução Floribella do avesso: «Somos pobres em sonhos e pobres, pobres em ouro.» Que morra então esta república do tudo pobre e tudo podre. Que viva a República dos homens de peito aberto, moral intocável e tomates no sítio.

A imagem e os “bonecos” também quiseram dar vivas à República! Basta apontar o rato…

O Malaposta gosta deste artigo.

Abaixo o governo socrático!

Saia outra República a sério!

Portugal à frente«««

Domingo, 5 Novembro 2006 às 5:30 pm | Publicado em Política | Deixe um comentário

Portugal é onde se estuda menos. População passou, em média, oito anos e meio no sistema de ensino, com o valor mais baixo da OCDE!

Portugal está na frente cauda da tabela da educação.

Portugal é o país da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) onde a população adulta passou menos tempo no sistema de ensino. Segundo o relatório Panorama da Educação de 2006, os adultos entre os 25 e os 64 anos estudaram, em média, durante oito anos e meio, menos do que a média dos 30 países da organição. O balanço mantém-se preocupante na faixa entre os 25 e os 34 anos, onde 69% das pessoas não concluíram o secundário, o dobro da média da OCDE: 27%. O cenário piora nos adultos entre 25 e 64 anos: só um quarto desta faixa etária conclui, pelo menos, o ensino secundário, quando na OCDE a percentagem é de 67%.
O relatório aponta Portugal como o país que menos tempo dedica à Matemática e às competências da língua materna no currículo do 2º Ciclo do Ensino Básico (5º e 6º anos). Segundo dados de 2004, só 12% do currículo dos alunos lusos (dos 9 aos 11 anos) é consagrado à Matemática, menos 4% do que a média dos países analisados. Nas competências como a leitura e a escrita, Portugal volta a figurar na cauda: os 15% destinados são inferiores em 9 pontos à média da OCDE.
Nota do Malaposta: Conforme imagem, Portugal lidera, lidera, lidera…
in Destak, com Lusa.

Malaposta no WordPress

Quinta-feira, 2 Novembro 2006 às 1:32 am | Publicado em Pessoal | Deixe um comentário

Malaposta. 2º modelo português de 1798

Vila Nova de Gaia, 2 de Novembro de 2006. Primeiro post-teste na plataforma WordPress.

Malaposta (Blogspot)

Site no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.